FRASES DO DIA

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

RESOLUÇÃO DE CONFLITOS NAS MÃOS DO SECRETARIADO




A solução de conflitos não está restrita apenas aos líderes ou RH, ela pode ser expandida.

Uma empresa que não consegue gerir de maneira adequada seus conflitos internos, não consegue criar um posicionamento positivo de seus colaboradores, desmotiva e reduz produtividade. E diferente do que ocorre, outros setores além do RH e até mesmo os próprios envolvidos devem parar e refletir a situação de conflito e só assim, se não resolverem buscar ajuda de gestores, colegas e então o recursos humanos.

A resolução dos conflitos pode ser direcionada e intermediada por outros setores da empresa, como por exemplo, os profissionais de secretariado. Muito se deve ao fato de que em muitos casos eles estão envolvidos com os diversos setores de uma empresa e tem conhecimento do todo da instituição: políticas, processos e interesses individuais. Por isso podem se tornar mediadores de conflitos. Podemos dizer que o secretário normalmente é quem está mais próximo e possui uma grande quantidade de informações para resolver o conflito.

É muito comum que os profissionais dessa área desempenhem a função de intermediador, pois, muitas vezes ele é considerado o elo entre diversas áreas como: empresa e clientes, fornecedores e a empresa, superiores e subordinados e vice-versa. Com diz Hansen e Silva: “o secretário executivo planeja, organiza, controla e avalia trabalhos realizados, atuando assim, como um gestor secretarial, desempenhand
 o também a função de elo entre a administração superior e os demais setores da instituição.”

Os métodos utilizados para a mediação de um conflito podem ser escolhidos pelas pessoas envoltas nele, ou as que o intermediarão, vale ressaltar que se o próprio secretário estiver envolvido este deve exercitar a sua capacidade de reconhecer a situação e resolvê-la, pensando em seu bem estar e no bem estar do outro.

Espera-se que os profissionais da área de secretariado, que estão em interação com as pessoas o tempo todo, tenham uma atitude construtiva perante os conflitos nos quais estejam mediando ou envolvidos. Estes, não mais que os outros, devem exercitar a habilidade de analisar outros pontos de vista, aceitar críticas e melhorar a sua prática com as pessoas a cada dia. A atitude positiva deve sempre prevalecer, evitando a agressividade que pode destruir qualquer resolução positiva, fazendo com que a boa mediação vá por água a baixo.


Fonte: HANSEN, Gilvan Luis; SILVA, Rosely Dias da. A importância da ética na gestão secretarial. In: PORTELA, Keyla; SCHUMACHER, Alexandre. Gestão Secretarial: o desafio da visão holística. Cuiabá: Adeptus, 2009.