segunda-feira, 18 de junho de 2018

DEZ FRASES DITAS APENAS POR GERENTES MEDÍOCRES




Muitas pessoas confundem liderança com chefia. Enquanto há pessoas que já nascem com o espírito de liderança, há outras que adquirem, com o tempo, principalmente após ingressar no mercado de trabalho, características comuns em líderes. Porém, há também aquelas que exercem cargos de gerência sem o devido preparo.


Baseado em um artigo da Forbes, escrito por Liz Ryan, exemplificamos os chavões propagados indiscriminadamente por gerentes medíocres. Caso tenha escutado alguma das seguintes frases do chefe atual, pode ser a hora de buscar um novo emprego.
  

Não te pago para pensar


Tendo em vista que as pessoas de fato são pagas para pensar, esse chavão soa como “não quero ouvir o que você pensa porque pessoas mais inteligentes que eu me fazem sentir inseguro”.

Parece se tratar de um problema pessoal

Típico de chefes que evitam dialogar com os colaboradores. Uma boa hora para usar esta frase é quando o gerente ligar em um final de semana recrutando voluntários para terminar um serviço que deixou pela metade.

É trabalho, não é para ser divertido 

A teoria que espanta investidores. Quem vai querer aplicar capital em uma organização onde os colaboradores são obrigados a fazer o que não querem? Na verdade, o trabalho deve ter seu momento de prazer, principalmente para que o profissional mantenha-se motivado e dedicado à empresa.

Você não é meu único empregado

Basicamente esta fala representa que o gerente em questão não está apto a concluir o próprio trabalho. Soa como “não posso lidar com meu trabalho, mas não é inteligente de sua parte apontar isso até que esteja empregado em outro lugar”.


Pensarei no assunto


Talvez a frase mais arcaica da lista. Atualmente é usada apenas por administradores incompetentes que não possuem uma resposta com fundamento a respeito do assunto. Ouvir isso pode significar duas coisas: que este é o fim de sua ideia ou que seu gerente vai descobrir um jeito de roubá-la.

Não quero saber quais são suas prioridades – esta será sua nova prioridade

Um gestor que pensa assim não faz ideia de que tudo dentro de uma organização está interligado, e um trabalho deixado de lado aqui, refletirá futuramente.


Se você não quer este emprego, acharei alguém que queira


Esta sentença evidencia uma liderança baseada no medo e um comportamento agressivo-passivo de quem a propaga. Aqueles que já escutaram frases nesse modelo estão familiarizados com gerentes que ameaçam os colaboradores para mantê-los na linha.


Sempre fizemos assim


“E Deus sabe que se não está quebrado, não conserte”.


Com esta economia, sorte sua ter um emprego


A demanda de pessoas inteligentes e capacitadas só aumenta. Se você é uma pessoa responsável e qualificada não terá problemas para achar um emprego que combine com sua personalidade. A vida é muito curta para trabalhar para chefes medíocres e carrascos.




sexta-feira, 15 de junho de 2018

A ARTE DE SECRETARIAR




Para ser uma secretária com excelência, não basta ser eficiente: é preciso ser eficaz. Ao secretariar alguém, você deve realizar essa tarefa com precisão e confiança.
Agendar reuniões e atender ao telefone faz da secretária uma profissional eficiente, porém para ser proativa e dinâmica é necessário saber lidar com os improvisos do dia a dia, que o local de trabalho impõe.
Saber contornar situações de maneiras claras, rápidas e sólidas faz de você uma secretária eficaz e, é claro, apresenta pontos positivos na relação chefe e funcionário.
Daí vem à pergunta: como ser eficaz e não apenas eficiente?
Tudo começa com uma boa apresentação de um currículo bem elaborado, sem lamentações de falta de oportunidade ou mesmo fracassos.
Seja clara: coloque apenas as informações que realmente importam para o empregador, quais seus objetivos para o novo emprego, quais as tarefas desempenhadas com sucesso na sua jornada de trabalho.
Ao ser entrevistada, seja coesa, fale somente o que interessa; se o entrevistador mudar de assunto, é porque você esta fugindo do tema em questão. Sendo assim, mude o rumo da conversa.
1
º passo dado – objetivo alcançado, vamos em frente: 

Saiba lidar com os demais colegas de trabalho, sejam eles gerentes ou o faxineiro da empresa. O bom relacionamento e “empatia” faz com que todos notem sua personalidade.
Seja rápida, dinâmica e organizada, sem passar por cima dos outros. Tenha idéias e apresente-as, mas lembre: sugestões com fundamentos (aponte o problema e a solução) e não faça seu chefe perder tempo com assuntos sem base concreta. 

Nosso emprego é como uma casa: se não fizermos de maneira sólida o alicerce, ela desaba e aí voltamos na busca de uma nova colocação no mercado.
Faça mais do que é esperado, surpreenda sempre. As empresas não precisam apenas de profissionais que preencham vagas; as instituições precisam de profissionais que ajudem a solucionar problemas. 


Procure realizar as tarefas que estão ao seu alcance, auxiliando os demais colegas, se necessário.
Saber secretariar com precisão é uma arte. Você só precisa seguir pelo caminho certo e estar sempre aberta a dicas, sugestões e, principalmente, críticas construtivas.
Uma secretária seja ela Junior, Sênior, Executiva, Bilíngue, Trilíngue, deve fazer o diferencial da empresa, como:

- Conheça bem o seu local de trabalho;


- Atenda ao telefone com calma;
- Quando não entender alguma coisa, peça que, por favor, lhe expliquem de novo;
- Possua uma agenda de contatos atualizada;
- Tenha sempre à mão caneta e bloco de anotações;
- Esteja sempre a postos quando for chamada pelo chefe;
- Decore o nome e a razão social dos principais clientes;
- Procure manter sua mesa sempre organizada de maneira fácil de encontrar com agilidade o que for necessário;
- Evite se alimentar ou maquiar-se na mesa de trabalho. Isso pode ocasionar acidentes irreparáveis;
- Seja sempre simpática, mas sem exagero;
- Saiba agradecer com classe um elogio;
- Se despeça educadamente de um cliente, pois o fracasso de muitas pessoas é não saber se comportar adequadamente no local de trabalho;
- Ao entrar na sala de seu chefe, sempre peça licença;
- Sente-se só quando for convidada;
- Nunca grite. Vá até a pessoa que deseja seu auxílio e responda à pergunta;
- Não fique de conversa paralela nos corredores. Isso causa má impressão;

-Trate os clientes sempre por Sr., Sra., Dr. Dra.; 


- Vista-se de acordo com seu local de trabalho. Saias justas ou decotes podem demonstrar coisas que não são, como seu caráter, por exemplo.

Mulheres e homens que desempenham essas funções têm papel especial nas organizações e, ao contrário do que muitos podem acreditar, não existe um executivo que não necessite de um braço direito, ou esquerdo, ou quem sabe até mesmo dos dois braços. 



quinta-feira, 14 de junho de 2018

CINCO DICAS PARA LIDAR COM PESSOAS CONTROLADORAS




Indivíduos que gostam de controlar tudo ao redor, inclusive outras pessoas, tendem a comportamentos desrespeitosos e antipáticos. Normalmente, a pessoa controladora possui problemas mais profundos e essa característica é um sintoma de possível narcisismo, insegurança ou tendências sociopatas. Elas costumam ser egoístas, teimosas e imaturas. Quanto mais você se deixar atingir pelo comportamento desse conhecido, mais depressivo e irritado você ficará.  


Confira algumas dicas de como lidar com alguém controlador:

1) Analise seu comportamento

Se você sente que essa pessoa tenta controlar e criticar constantemente seu comportamento, avalie como você contribui para que ela tenha essa liberdade. Talvez você tenha ficado preguiçoso e dado margem para reclamações, ou você não consegue se impor diante desse comportamento e prefere baixar a cabeça. Seja qual for a razão, busque alternativas que mudem o padrão de atitudes do controlador em relação a você e retirem a liberdade e controle das mãos dessa pessoa.


2) Acredite em seu potencial

Quanto mais você sentir que merece ser ouvido, mais oportunidade irá criar para que isso aconteça. Se a pessoa controladora fez com que você desacreditasse em suas qualidades e habilidades, lembre-se das vezes que uma decisão sua fez diferença, dos elogios que você recebeu por determinado trabalho ou de todo o esforço empregado nas tarefas que ele criticou. Essa pessoa só irá atingi-lo emocionalmente se você permitir, e, diferente dela, você não pode deixar que suas emoções controlem suas atitudes.

3) Cuidado com suas palavras

Para algumas pessoas, conhecimento é poder. Não conte ao seu colega controlador sobre seus planos e desejos. Se o que você quer não se alinhar com os planos dessa pessoa, ela fará de tudo para que seus objetivos não se concretizem.


4) Se o controle é uma ilusão, seja um ilusionista

Ninguém consegue controlar tudo ao mesmo tempo. Por conta disso, você deve ser diplomático o suficiente para que essa pessoa não desconte essa frustração em você, ou o culpe pelas decisões erradas que ela tomou.  

5) Quando o resto não deu certo

Algumas vezes, ser diplomático e paciente não resolve a situação e a pessoa controladora precisa ser confrontada. Como você irá fazer isso depende muito de quem é o controlador. Se for um chefe, por exemplo, não é recomendável que você faça isso, já que o controle realmente é dele. Mas, se a pessoa for um amigo, familiar ou companheiro, essa atitude é necessária para que a relação entre vocês não acabe ou fique prejudicada.

quarta-feira, 13 de junho de 2018

A PALAVRA É COMPROMETIMENTO





Uma das mais importantes características de um profissional que se destaca é o comprometimento. São profissionais de sucesso que são engajados no que fazem e que têm atitude
As pessoas comprometidas se preocupam com e como fazem seu trabalho, terminam a sua tarefa de forma clara, precisa sem o pensamento “vai de qualquer jeito”. A dedicação e o empenho são palavras fortes no vocabulário de uma pessoa que é comprometida com sua vida pessoal ou profissional. É uma motivação interna dessas pessoas, mesmo que ao seu redor nada favoreça para que esse comprometimento seja explorado ou desencadeado.
Alguns colaboradores por muitas vezes acham que ajudando ao colega, realizando tarefas que não é de sua responsabilidade ou oferecendo novas ideias para a empresa, estão fazendo demais ou realizando aquilo que não deve, achando que não ganham para fazer além de sua obrigação e que por muitas vezes não é reconhecido pela empresa ou por colegas. É certo que o comprometimento não pode partir apenas do colaborador, a empresa tem que está aberta a reconhecer o potencial de seus funcionários, à medida que estes começam a se destacarem.
Mas o que devo chamar atenção é que para haver o reconhecimento, tem que haver o comprometimento. Se você nunca toma atitudes, como irão lhe notar? Se você não se compromete em ajudar, opinar e der o primeiro passo, com certeza será difícil alguém lhe dê crédito e reconheça que você é capaz de executar tarefas que antes só eram realizadas por outras pessoas.
Vejamos um exemplo bem básico, um casamento é um tipo de comprometimento? Você usar uma aliança na mão quer dizer que você está comprometido? Não necessariamente! Assim como no seu trabalho, um relacionamento tem responsabilidades e benefícios, se você não se compromete com seu parceiro (a) em levar uma vida de comum acordo, abdicando de certas coisas e motivado a realizar outras que vai fazer sua vida a dois ser mais prazerosa, e assim trazer excelentes benefícios e resultados, não vai ter a reciprocidade de quem você quer. A outra pessoa também não vai se comprometer nessa aliança matrimonial.
Experimente comprometer-se com as pequenas coisas do dia a dia no seu trabalho. Você terá um gostinho de dever cumprido no final do expediente, as pessoas começarão a notar a diferença e automaticamente seguirão seu exemplo. Se isso não acontecer não tem problema, o importante é a sensação de bem estar que você vai sentir de ser útil e de que no seu caso, o sucesso é certo.

terça-feira, 12 de junho de 2018

PERDI A FUNCIONÁRIA PARA O FACEBOOK




O vício no smartphone é uma doença a ser estudada
Estava em viagem de trabalho na cidade de Fortaleza e, enquanto jantava com alguns empresários, ouvi de um deles a frase: “Perdi a funcionária para o Facebook”.
Fiquei pensando no significado daquilo. Será que ele tinha uma ótima funcionária de TI que foi selecionada para ajudar o Mark Zuckerberg com alguma nova funcionalidade da rede social? Não. Infelizmente, para a moça, não se tratava disto…
Acredito que você tenha pensado em algo diferente, quando leu o título deste artigo, e, sim, você estava completamente certo ao considerar: “vai ver que a moça não desgrudava do Facebook”. É isto mesmo! E o mais triste é que a história se repetirá milhares de vezes.
Antigamente, perdíamos o funcionário para o concorrente. Depois de anos de investimento em treinamentos internos, que ocupavam o tempo de profissionais mais experientes da empresa ensinando esta pessoa a trabalhar; depois de anos oferecendo uma bolsa pra ela fazer faculdade; depois de pagar viagem, hotel e inscrição de cursos fora da empresa; depois de tudo isto, perdíamos o funcionário para o concorrente.
Ou ainda pior: ele mesmo se transformava num novo concorrente. Cheio de potencial.
Aos empresários que vinham chorar as pitangas em uma situação destas, eu sempre dizia: pega sua senha e entra na fila, porque eu conheço centenas de casos idênticos e o seu não foi o primeiro e nem será o último.
É normal. A empresa tem de se transformar em escola, tem de educar, treinar, mostrar como se faz e depois encarar até como um orgulho a pessoa que se desenvolveu e foi em busca de novas oportunidades e desafios.
A cada funcionário que se vai, eu recomendo que o empresário repense o ambiente de trabalho, o plano de carreira, as verdadeiras razões que levaram aquela pessoa a deixar a empresa e buscar outra posição de trabalho.
Mas para o problema do empresário de Fortaleza eu não achei resposta.
A funcionária ficava no Facebook o dia inteiro. Foi repreendida verbalmente. Bloquearam o acesso nas máquinas da empresa e então ela passou a usar o celular. Impediram o uso do celular e ela passou a dedicar longos períodos de tempo no banheiro. Logicamente, com o celular.
E o que fazer então?
A única saída dele foi demitir. Mas gostava da moça e me disse que nunca tinha encontrado alguém com tanto potencial para a função. Era inteligente e aprendia rápido. Mas não desgrudava do Facebook.
O vício no smartphone é uma doença a ser estudada. Mas já virou causa de desemprego em Fortaleza. E, claro, a moça precisa de tratamento e pode retomar sua vida profissional com uma carreira brilhante, assim que conseguir dominar o desejo de acessar a rede social.
Mas minha maior preocupação é com o empresário. Perder pro concorrente é uma coisa, mas perder pro Facebook… Vai reclamar com quem?

segunda-feira, 11 de junho de 2018

SEIS DICAS PRA QUEM QUER SAIR DA FACULDADE REALMENTE PREPARADO PARA O MERCADO



Experiência profissional no período universitário é fundamental para garantir bons empregos
Com a grande demanda por profissionais qualificados, apenas as boas notas não são mais garantias suficientes para classificar o estudante para o seu primeiro emprego. Por isso, a consultoria Robert Half listou seis dicas para quem pretende se qualificar durante o período universitário:
1 . Procure estágios – Busque o responsável por estágios na sua faculdade, procure empregadores de seu interesse e mantenha contato com os diretores de ensino e professores para conquistar um estágio.
2 . Pense além dos cifrões – Estágios remunerados são atraentes, mas não pense apenas no dinheiro. As oportunidades valiosas são as que proporcionarão a você o máximo de exposição, experiências e conexões.
3 . Seja um voluntário - Busque trabalhos voluntários que possam reforçar suas competências e habilidades.
4 . Explore todas as suas opções - Oportunidades temporárias permitem ganhar experiência no mundo real. Algumas tarefas de contabilidade e finanças temporárias podem resultar em ofertas de trabalho permanente.
5 . Agarre as oportunidades - Não se veja como "apenas um estagiário", "voluntário" ou  “temporário". Trate cada oportunidade como um trabalho real, adotando a mentalidade de um funcionário permanente. Observe como os outros colaboradores interagem e adapte o seu estilo de trabalho e comportamento..
6 . Fique em contato - Depois de um estágio ou de um trabalho temporário, escreva uma carta de agradecimento para quem te ajudou ou orientou. E mantenha contato durante todo o seu período universitário. Dessa forma, suas chances de garantir ligações de trabalho, recomendações ou até mesmo uma oferta de emprego aumentam.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

SECRETARIADO EFICAZ - UM NOVO MODELO DE INTERFERÊNCIA POSITIVA




O que provoca a sensação de cansaço, stress e desgaste no ambiente de trabalho? Uma das respostas para isso está exatamente ligada às funções do secretariado, ou seja, falta de organização, acúmulo de tarefas e ações desconectadas. Uma secretária com senso de planejamento e que sabe organizar as prioridades com base nas estruturas emocionais de sua equipe é fundamental no processo de qualidade de vida das pessoas envolvidas.

CLIMA ORGANIZACIONAL E AS AÇÕES SECRETARIADAS
O clima organizacional é o ambiente humano dentro do qual as pessoas de uma organização fazem seu trabalho. Este é detectado psicologicamente, na percepção e reação de cada indivíduo. Nas ações secretariadas está uma parte importante das diferentes espécies de motivação, concorre para a qualidade do ambiente organizacional, sendo percebido pelos participantes da empresa e que influencia o comportamento geral. Aumenta ou diminui a motivação, o desempenho humano e a satisfação no trabalho. O Novo modelo de secretariado precisa interferir direta ou indiretamente nas ações de liderança, promovendo mudança de modelos nos relacionamentos por meio de ações conduzidas, ai se exige mais que preparação técnica, mas empatia, sensibilidade e capacidade de relacionamento.

APRENDIZAGEM, UM MODELO DE DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO
Na esfera do secretariado também está a possibilidade de conduzir processos de mudanças através do conhecimento de novos modelos de comportamento em todos os aspectos da vida. Entenda que a maioria dos profissionais estão tecnicamente preparados para lidar com sua área de conhecimento, porém a secretária (devidamente preparada) deve estar apta a interferir em todas as áreas, trazendo modelos que facilitem as ações, promovam a qualidade, eficiência e o bem estar. Mas estes modelos necessitam ser incorporados, aprendidos; Imagine um engenheiro (como conheço muitos) que é expert em sua área, porém um desastre em planejamento e comunicação. Evidentemente estará em constante conflito com seus liderados, esquecendo-se de tratos, descumprindo prazos, ignorando compromissos, enfim, um desastre no que diz respeito ao conhecimento de técnicas de auto secretariado, caberá aí um desenvolvimento de um novo modelo de procedimento, imagine quanto este profissional poderá crescer com uma secretária que não somente organize, mas ensine este técnico a viver com menos conflitos?
IMAGINE EM ESCALA MAIOR, UMA EMPRESA COM UM MODELO DESASTRADO DE ORGANIZAÇÃO, COMPORTAMENTO E PLANEJAMENTO, quanto se ganharia com o aprendizado de uma nova filosofia de comportamento na gestão dos diversos processos? EIS AI UM ÓTIMO DESAFIO!!


(Múcio Morais)

quinta-feira, 7 de junho de 2018

PERFIL AUTORITÁRIO DÁ MARGEM AO ASSÉDIO MORAL




O uso de autoridade não pode ser confundido com poder
Sabe aquele líder de quem toda a equipe treme de medo? Aquele que, ao chamar a atenção de um colaborador por algum erro que tenha cometido, com frequência usa palavras e atitudes agressivas ao extremo? Cuidado com esse tipo de liderança na sua empresa. O uso de autoridade não pode ser confundido com autoritarismo e abuso de poder, pois corre o risco de cair na gravidade do assedio moral. Saiba como identificar o problema e de que forma orientar líderes neste sentido.
Ao definir que atitudes de um líder se enquadram em assedio moral, o psicólogo e Perito do Tribunal do Trabalho de Porto Velho, Roberto Lázaro Silveira, cita o pesquisador Caroll Brodsky. “Ele define assedio moral como tentativas repetidas e persistentes de uma pessoa a fim de atormentar, frustrar ou quebrar a resistência de outra. Uma forma de tratamento que, aplicado com persistência, provoca, amedronta, intimida e incomoda a vítima”, coloca Silveira.
Roberto alerta que o assédio é composto por atitudes hostis acumulativas que, por vezes, parecem inofensivas, mas que causam graves consequências aos profissionais. “A situação causa um alto nível de estresse na vítima, gerando ansiedade, depressão e estresse pós-traumático. A carreira, o relacionamento familiar e a saúde física e mental são gravemente comprometidos. Em suma, para a sociedade como um todo, os resultados são desastrosos”, enfatiza.
Observar condutas agressivas e realizar constantes pesquisas de clima organizacional são algumas medidas capazes de auxiliar o RH a identificar líderes propícios à prática do assedio moral. A orientação é do psicólogo, coach e especialista em formação gerencial Jairo Martiniano.
“É interessante observar sinais, como: o medo da equipe de se expor, o consenso silencioso em reuniões que gerariam debates, pedidos de troca de setor e condutas mais agressivas. Nas pesquisas de clima, é importante constar uma avaliação de liderança e garantir o sigilo das informações”, aconselha o psicólogo.
A promoção sem preparação é um dos fatores que propiciam situações de assédio moral, de acordo com Martiniano: “faz-se necessário uma avaliação completa da personalidade do futuro líder. Realizar uma boa entrevista e, claro, avaliar o histórico deste profissional em outras áreas. É fundamental identificar como é a sua educação no tratamento com todos os níveis”.
http://dtcom.com.br/site/index.php/perfil-autoritario-da-margem-ao-assedio-moral/

quarta-feira, 6 de junho de 2018

DEZESSETE ATITUDES QUE IMPEDEM O PROFISSIONAL DE SE TORNAR UM LÍDER




"Há atitudes clássicas que podem afetar a vida profissional e impossibilitar um almejado cargo de chefia"
Muitas pessoas não entendem o motivo pelo qual, apesar de todos os esforços, não são vistas como líderes. Segundo Henri Fernandes Cardim, consultor de negócios especialista em coaching e executivo à frente da HFC Consultoria & Treinamento, há atitudes clássicas que podem afetar a vida profissional e impossibilitar um almejado cargo de chefia.
Veja abaixo os 17 erros mais comuns:

1 - Postura de escravo: ter atitude passiva, acreditando que apenas quando for promovido precisará mudar.
2 - Puxa saco: pensar que será promovido por rir das piadas do chefe é um erro.
3 - Conhecimento pífio: não estudar e não se atualizar, mas imaginar que ninguém nota.
4 - Medo de errar: o medo de decidir é falha grave.
5 - Pai e chefe: Confundir chefe com pai.
6 - O príncipe: achar que tem o direito à vaga apenas por ser herdeiro ou por se sentir especial.
7- Infantilidade: postura imatura em reuniões acaba com boas oportunidades.
8 - Menosprezar projetos pequenos: fazer com desdém por achar fácil, esquecendo que, independente do tamanho, o que se mede é empenho e resultado.
9 - Falta de foco: Trabalhar apenas por dinheiro, sem visão de carreira de médio e longo prazo;
10 - Previsível: entregar apenas o que é solicitado, sem superar as expectativas do superior imediato;
11 - Pata ou galinha: exercer o marketing pessoal de maneira equivocada. Botar ovo pequeno (galinha) e fazer escândalo, ou botar ovo grande (pata) e ficar quieto.
12 - Salto alto: logo após assumir a posição, deixa a humildade de lado e passa a ser o carrasco.
13 - Sabe tudo: Ter o impulso de responder tudo imediatamente, acreditando que esperam dele respostas rápidas apenas.
14 - Largar: abandona a tarefa e não acompanha, assim tenta se isentar da eventual falha.
15 - Indisciplina: acreditar que por se tornar líder pode ser ou continuar sem disciplina;
16 - Guardar tudo na cabeça: dispensar uso de agenda por acreditar que tem memória fotográfica ou não saber usá-la.
17 - Inflexível: acreditar que por ser chefe não é necessário ser flexível e negociar com a equipe.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

10 DICAS DE OURO PARA QUEM BUSCA BOAS PRÁTICAS NAS REDES SOCIAIS





Mas não se engane: ao mesmo tempo em que o seu perfil pode alavancar a sua carreira, o que você faz neste universo pode se tornar uma armadilha cruel e derrubar qualquer chance de se dar bem.

"Não há como frear a evolução das redes sociais. A cada dia, mais e mais pessoas entram nelas, seja Facebook, Instagram ou Linkedin, dependendo do perfil de cada pessoa. Isso significa que cada pessoa precisa demandar mais cuidados com cada um dos processos dentro de cada rede. Claro que nem sempre um profissional sabe exatamente o que fazer, mas o ideia é estruturar bem as suas redes e cuidar das postagens." explica Ediney Giordani, CCO da KAKOI Comunicação.

Confira algumas dicas de Ediney Giordani para se destacar nas redes sociais e fazer um bom gerenciamento das suas redes sociais e arrasar nos negócios.

1 - Foto de perfil 

Cuidado. Seja foto do Facebook, do Whats, ou de qualquer outra rede ela literalmente te representa. Escolha uma imagem que demonstre a sua seriedade profissional, esqueça fotos de praia ou um pouco mais ousadas, eles não representam o profissional que você é.


2 - Sem convites

Mesmo os parentes e amigos mais chegados não gostam de um modo geral de convites inesperados para jogos web ou ainda para eventos, além disso, as pessoas irão ver na sua timeline que você tem interesse no evento, se for recíproco eles mesmo irão até a página.


3 - Não exponha as pessoas ou se exponha

Sabe aquele clique despretensioso em que o colega não está preparado para tal ou ainda para em uma situação vexatória deve ser evitada, isso vale para Redes e Grupos do Whats.


4 - Não faça spam no WhatsApp

O WhatsApp deve ser usado para comunicação, não para repassar correntes ou grupos ou ainda pedidos que nada tem relação com o trabalho.


5 - Áudios longos? Só se pedidos 

Antes de enviar um longo áudio certifique-se que as pessoas querem receber áudios, gostam de receber áudios ou se preferem um e-mail ou mensagem, tal prática demonstra respeito por seu interlocutor que muitas vezes pode nem sequer ouvir um áudio com mensagens importantes.


6 - Fake News? Fuja!

Compartilhar links falsos, cuja credibilidade são questionáveis é um tiro no pé do profissional, se este não tem cuidado em que pesquisar o que posta, o que mais ele deixa de lado? Só compartilhe links dos quais tem certeza e de fonte fidedigna.


7 - Post Políticos? Ideológicos? Nunca! 

Há um velho ditado que diz que política, futebol e religião não se discute, e não se discutem mesmo. Não perca a oportunidade de nada dizer, use com sabedoria a sua opinião e evite discursos políticos prontos. Eles não acrescentam nada e ainda podem causar grande antipatia com seu interlocutor, que pode ser um bom contato profissional.


8 - Separe o Profissional do Pessoal 

Saiba como manter uma relação saudável. Use o Linkedin, por exemplo, para relações profissionais enquanto o Facebook para o pessoal, enfim, é importante saber quando usar um ou outro e lembre-se: os filtros de privacidade vão te ajudar neste quesito.


9 - Pense em sua marca

Cada um parece com aquilo que posta. Então pense em como você vai ficar marcado, como as pessoas vão lembrar de você, que imagem você quer passar? Assim você será conhecido nas redes.


10 - Empatia, Simpatia, sempre

Nada melhor do que a boa e velha simpatia para manter as suas redes sempre em alta. Isso faz toda a diferença, as pessoas gostam de conversar com quem tem alto astral. Acredite, vai te ajudar a fechar novos negócios, manter clientes fiéis e ter uma rede social vencedora.





sexta-feira, 18 de maio de 2018

SECRETÁRIA QUE PENSA DIFERENTE




Neste mundo globalizado, a Secretária moderna participa cada vez mais do dia-a-dia da empresa e dos negócios, deve atualizar-se com as novas tecnologias que surgem frequentemente, entender as tendências no mundo de hoje, a sociedade high tech e aonde estas tendências poderão nos levar. Isto é fundamental para dar suporte ao seu chefe.
A secretária, como todos, encontra novas oportunidades que exigem novas maneiras de pensar e diferentes ângulos de visão. Espera-se que possa resolver problemas com criatividade e iniciativa. A secretária conectada a todas estas novas exigências do mercado está cada vez mais valorizada.
Em outro extremo, aquelas que ficarem se queixando por que "as coisas já não são tão fáceis como antigamente" ou "por que mudar o que sempre funcionou?" necessitam rever urgentemente suas premissas. Ou usam sua capacidade criativas para descobrir novas respostas, novas soluções novas ideias ou estarão em situações mais delicadas para não dizer difíceis. Mas como diferenciar-se nesta aldeia global tão competitiva?
Com criatividade. Pensando diferente. Atualmente, é a criatividade que determina a diferença entre as pessoas, determina o resultado do trabalho e o sucesso.
Nesta época de tantas mudanças e transformações uma coisa permanece: todos querem o sucesso pessoal e profissional.
O sucesso não é uma loteria nem uma montanha que você pode escalar. Sucesso é um direito que você tem. Trabalhe para isso. Desenvolva novos hábitos. Diferencie-se. Pense diferente. Exerça o seu potencial criativo. Questione tudo. Questione a maneira como você realiza seu trabalho. O fato de você estar fazendo uma tarefa da mesma maneira há muito tempo não garante que esta seja a melhor maneira. Sempre é possível fazer mais eficientemente, mais rápido, melhor, mais economicamente.
Fazer mais com menos faz a diferença!
Desenvolva a sua imaginação, sua sensibilidade e seu intelecto.
Seja proativa com sua carreira definindo seu portfólio de habilidades. Olhe as mesmas informações que você tinha antes sob um novo ângulo. Este novo e diferente ângulo vai ajudá-la a ter novas ideias. Comunique-se perfeitamente, mantenha aprendizado constante e, obviamente, olhe sempre para o futuro.
Isto é pensar diferente: ver as coisas sob prismas que ninguém vê. Esse é o diferencial que deve ser cultivado.
Em resumo, se você não acredita que poderá melhorar suas habilidades, seu desempenho...cuidado, muito cuidado! Alguém mais criativo acredita que pode...

Por: Antônio Carlos Teixeira

quinta-feira, 17 de maio de 2018

QUAL IMAGEM VOCÊ ESPERA CONSTRUIR NAS REDES SOCIAIS?





Nos dias de hoje, todos nós, gradativamente, nos rendemos aos apelos das redes sociais. Empresas e profissionais que estão ao largo desse movimento, no médio prazo, pagarão um preço pela falta de interatividade e por andar na contramão das tendências do mercado. Afinal, ninguém cresce sozinho e nutrir uma boa rede de contatos tem suas vantagens. Participar de ambientes virtuais e tecer novos contatos virou quase uma obrigatoriedade. Sejam em situações sociais ou profissionais, surge sempre a pergunta clássica: “você está no Twitter, Facebook. LinkedIN , MySpace, Orkut ou..?”
Aderimos às inovações virtuais para não corrermos o risco de ser o “diferente” do grupo. Independente dos diversos interesses relativos às necessidades e expectativas de cada um, acessar o universo das redes sociais nos traz a sensação de fazer parte de um mundo sem fronteiras, onde a viabilidade dos nossos objetivos, independente do quão distante possa parecer, resume-se apenas a uma questão de tempo.
As redes sociais viabilizam, também, o compartilhamento das informações, em curtíssimo tempo, contribuindo para o processo de divulgação de culturas e novos conhecimentos, através da troca entre grupos com interesses afins. Ao ampliarmos nosso nível de conhecimento potencializamos nossa conectividade, pois quanto maior o saber maior a abrangência de contatos.
Contudo, como em qualquer ambiente coletivo, seja ele virtual ou não, temos que nos certificar do nosso real propósito e estabelecer uma postura convergente com o que queremos conquistar. Mesmo que essa conquista refira-se apenas à aquisição de novos contatos. Nesses termos, uma estratégia de atuação definida e um mínimo de zelo pela própria imagem devem ser requisitos básicos antes de nos lançar às cegas nas redes sociais.
É estranho encontrar pessoas, como por exemplo, no “Twitter”, as quais tornam públicas suas rotinas pessoais, sem economia de detalhes, para milhares de “followers” com os quais não mantêm um nível de relacionamento que justifique essa conduta. Temos de zelar pela imagem como queremos ser vistos e lembrados.
Determinados pormenores da nossa vida pessoal devem ser comentados através de mensagens diretas, com aqueles com quem compartilhamos de certa intimidade, e não divulgados nas esferas das redes sociais. É mais prudente agir dessa maneira, pois devemos lembrar que investimos grande parte do nosso tempo na construção de uma boa imagem, e, às vezes, por um deslize, a comprometemos por uma vida inteira.
Uma maneira de atuar com segurança e eficiência nas redes sociais é elaborar um perfil em linha com o tipo de relacionamento que você deseja trabalhar. Se sua opção for exercer relações de trabalho, assuma uma postura profissional e não ceda ao impulso de descontrair-se demais para não comprometer seu objetivo.
Lembre-se que uma boa imagem é construída dia a dia por cada um de nossos gestos e atitudes. Se “paredes têm ouvidos”, o que dizer das redes sociais. Portanto, cuidado com aquilo que você torna público! No mais, aproveite as inúmeras vantagens dos circuitos virtuais e “faça a diferença”.

Por Waleska Farias

quarta-feira, 16 de maio de 2018

NOVE HÁBITOS QUE AJUDAM VOCÊ A FUNCIONAR MELHOR DE MANHÃ




Em uma sociedade em que a maioria das empresas, serviços e atividades funciona em horário comercial, das 9h às 18h, quem tem dificuldade para levantar cedo costuma sofrer com essa rotina. Com o cansaço, sono e atrasos frequentes, as pessoas que têm hábitos mais noturnos ainda podem ficar com a fama de preguiçosas e pouco comprometidas, diante daqueles que não encontram obstáculos para começar o dia a todo vapor. Esse problema, no entanto, não precisa ser eterno.
De acordo com o psicólogo e professor Sérgio Medeiros, alguns hábitos simples podem ajudar a funcionar melhor na parte da noite. “Há certos limites. A pessoa não vai inverter completamente seu ciclo biológico, mas ela pode ser produtiva, mesmo assim”, afirma. O especialista, que também é coordenador do curso de Psicologia no centro universitário IBMR, indica alguns comportamento e ideias úteis para dar mais ânimo durante a manhã e melhorar a qualidade de vida. Confira.
Reconhecer a dificuldade de acordar, sem culpa
Viver sem culpa e reconhecer que o ritmo do próprio corpo não é igual ao de outras pessoas “matutinas” é o primeiro passo para conseguir mudar essa realidade, segundo Medeiros. Para ele, é importante adquirir o hábito de não se depreciar ou pensar mal de si mesmo pelo fato de ter mais dificuldade para funcionar de manhã. Essa consciência pode ser muito útil na hora de dar o segundo passo.
Perceber que hábitos são mutáveis
Outro padrão de pensamento que influencia diretamente na conduta diária é a convicção de que é possível mudar. “Os hábitos são mutáveis. Não é simples mudar o relógio biológico, mas é possível”, diz. Isso significa que, ao sentir a necessidade de render mais de manhã, nada impede que o corpo e a cabeça sejam treinados para tal.
Dormir mais cedo
Muita gente que tem dificuldades para acordar cedo adota uma rotina com atividades capazes de varar a madrugada. Não é de se admirar que os bocejos e desânimo invadam as manhãs dessas pessoas. Por isso, para Sérgio Medeiros, um bom hábito a ser incorporado no dia a dia é calcular quantas horas são necessárias para ter um sono revigorante e, a partir desse número, estabelecer um horário máximo para estar na cama.
“No começo, é comum ter dificuldade de dormir mais cedo, mas é importante entender que isso é transitório”, afirma. Para estimular o sono, ele recomenda realizar atividades mais calmas pouco tempo antes de dormir, como ler um livro cujo tema não seja muito estimulante ou ligado ao trabalho.
Não sofrer por antecipação na hora de dormir
Um hábito que atrapalha bastante a qualidade do sono e que, por isso, prejudica as atividades do dia seguinte é pensar nas tarefas pendentes antes de dormir. Esse costume típico dos domingos, em que as pessoas começam a sofrer antecipadamente pela chegada da segunda-feira, prejudica a noite de descanso e aumenta as dificuldades na hora de acordar. “É programar o despertador e mudar de assunto”, diz o psicólogo.
Começar o dia com o que dá mais prazer
Organizar as ideias e colocá-las em um papel pode ajudar a perceber que levantar junto com o sol pode não ser tão ruim assim. Sérgio Medeiros afirma que vale a pena fazer uma lista com aquilo que agrada e o que desagrada na nova rotina e, a partir dela, começar o dia com as coisas mais prazerosas.
Esse hábito funciona como uma espécie de recompensa para si mesmo, por ter conseguido acordar cedo. Esse método pode ainda ser ampliado para outros horários do dia. “Já que conseguiu levantar da cama no horário, a pessoa pode estabelecer uma premiação para si, como tomar um chopp depois do trabalho ou fazer outra coisa de que goste e se sinta bem”, diz.
Realizar tarefas mais simples de manhã
Para não demorar além do necessário em determinadas tarefas e não se frustrar com isso, o ideal, segundo o especialista, é deixar os afazeres mais complexos para o horário da tarde e da noite, quando se está mais focado. Assim, o período da manhã ficaria para aquilo que for mais simples de se fazer, como atividades mecânicas ou de contato pessoal.
Tomar café
Para driblar o sono e começar bem o dia, um bom café pode ajudar a despertar com mais facilidade. O mesmo vale para outras substâncias estimulantes e que contêm cafeína, como chá preto, chá verde e chocolate. “Algumas pessoas não gostam muito ou não podem consumir, mas, para quem pode e acha bom, isso é efetivo”, afirma Medeiros.
Fazer exercícios
Outro modo de ter mais disposição de manhã é fazer exercícios físicos logo no início do dia. Geralmente, praticar atividades físicas nesse horário acelera o organismo e dá mais disposição para enfrentar os desafios do dia. Mas esses benefícios são mais sentidos se a pessoa tiver uma boa noite de sono e se estiver bem nutrida e hidratada para malhar.
Evitar bebidas alcoólicas antes de dormir
“Quem tem hábito de ingerir bebida alcoólica pouco antes de dormir deve tomar cuidado, pois a pessoa pode acordar mais cansada no dia seguinte”, afirma o especialista. Segundo ele, para modificar a rotina e acordar mais cedo e com mais disposição, é preciso abrir mão desse pequeno prazer, pelo menos temporariamente, até que o corpo se adapte à nova realidade e o horário de despertar não seja mais um desafio hercúleo a ser transposto.

terça-feira, 15 de maio de 2018

QUER SABER SEU NÍVEL DE AUTOESTIMA?




A autoestima é a capacidade que uma pessoa tem de confiar em si própria, de se valorizar, de se amar e saber expressar suas próprias aspirações e necessidades da maneira apropriada sem infringir direitos e respeitando os sentimentos dos outros. Faça o teste e veja como anda sua autoestima.

As afirmações abaixo se referem ao seu nível de autoestima. Responda com a máxima sinceridade levando em conta como você realmente é, e não como acha que você deveria ser. Responda de acordo com o critério abaixo, fazendo um X na letra correspondente. Para cada afirmação assinale apenas uma opção.

S = Sempre ou quase sempre

F = Frequentemente
O = Ocasionalmente
N = Nunca ou quase nunca


1. Normalmente, sinto-me muito bem e continuamente penso como é gostoso poder viver - S F O N
2. Quando enfrento adversidades ou tenho experiências negativas, invariavelmente consigo descobrir benefícios ou aprender algo novo e positivo com esses episódios - S F O N
3. Tenho por hábito encorajar a mim mesmo e as pessoas com quem me relaciono tanto em casa como no trabalho - S F O N
4. Mesmo que eu não goste, quando cometo um erro admito-o sem relutância, nem constrangimento - S F O N
5. Acredito que minha felicidade depende dos outros (não de mim) - S F O N
6. Faço o que acredito que é certo, mesmo que eu seja alvo de críticas ou gozações - S F O N
7. Quando recebo elogios fico constrangido ou envergonhado - S F O N
8. Sinto-me ofendido, magoado ou abatido quando recebo críticas - S F N O
9. Meu lema é: "Se você não tem nada de bom a falar sobre alguém, então não fale nada" - S F O N
10. Costumo me queixar das coisas (por exemplo: do chefe, do trabalho, da família, do governo, da situação econômica, do salário etc.) - S F O N
11. Mesmo sabendo que eu sempre tenho que melhorar, sinto-me bem comigo mesmo (minha forma de falar, de andar, de rir, meus gestos, minhas expressões faciais etc.) - S F O N
12. Magoo-me, me constranjo ou me humilho com certa facilidade - S F O N
13. Sei o que eu quero da vida, tenho objetivos e metas claramente definidos e persigo-os mês a mês - S F O N
14. É comum eu me sentir desanimado e desmotivado - S F O N
15. Quando alguém é agressivo comigo reajo com agressividade, ou, ao contrário, eu me retraio - S F O N
16. Embora eu não pare de lutar, muitas vezes sinto-me vítima das circunstâncias - S F O N
17. Gosto de desafios e de estar sempre aprendendo coisas novas - S F O N
18. Encaro com confiança obstáculos e adversidades, pois acredito que posso superá-los um a um - S F O N
19. Respeito as pessoas na mesma proporção em que quero ser respeitado (Você é assim?) - S F O N
20. Para ser aceito pelas pessoas, às vezes, faço coisas contra a minha vontade - S F O N
21. Tenho dificuldade de me relacionar com as pessoas - S F O N
22. Preocupo-me muito com o que as pessoas pensam a meu respeito - S F O N

Verifique sua pontuação conforme gabarito abaixo

Questão S F O N 

1 -          3 2 1 0 
2 -          3 2 1 0 
3 -          3 2 1 0 
4 -          3 2 1 0 
5 -          0 1 2 3 
6 -          3 2 1 0 
7 -          0 1 2 3 
8 -          0 1 2 3 
9 -          3 2 1 0 
10 -        0 1 2 3 
11-         3 2 1 0 
12 -        0 1 2 3 
13 -        3 2 1 0 
14 -        0 1 2 3 
15 -        0 1 2 3 
16 -        0 1 2 3 
17 -        3 2 1 0 
18 -        3 2 1 0 
19 -        3 2 1 0 
20 -        0 1 2 3 
21 -        0 1 2 3
22 -        0 1 2 3


Total das quatro colunas

De 50 a 66 pontos. Você tem uma excelente autoestima. Sabe enfrentar adversidades com confiança, tem uma visão positiva de si mesmo, valoriza suas habilidades e acredita em suas potencialidades. Siga em frente e se mantenha neste nível. Se não confundir autoestima com arrogância ou autossuficiência, terá todas as chances de sucesso profissional, pois saberá ser humilde, agir com maturidade e valorizar as pessoas.

De 36 a 49 pontos. Esta pontuação revela uma autoestima média. Em determinados momentos você enfrenta com galhardia adversidades e obstáculos já, em outros, sente grandes dificuldades em fazê-lo, talvez porque não confie totalmente em suas habilidades e competências, ou se sinta inibido diante de certas situações. Procure analisar suas atitudes, acredite mais em suas capacidades e concentre seus esforços em descobrir, reconhecer e desenvolver seu devido valor.

Abaixo de 36 pontos. Esta pontuação revela uma baixa autoestima. É provável que você tenha perdido o prazer de desfrutar as coisas - e, mesmo, de viver -, por conta de uma percepção negativa de si mesmo e do ambiente que o cerca, e isso influi diretamente na qualidade de suas escolhas e decisões, e no seu relacionamento com as pessoas. É fundamental que você fortaleça sua autoestima através de cursos, livros e contato constante com pessoas positivas, realizadoras e de "alto astral". Considere também a opção de fazer psicoterapia para melhorar suas chances de sucesso pessoal e profissional.

Comentários sobre autoestima

A autoestima, em resumo, é saber aceitar-se a si mesmo, sabendo que tem o direito de ser feliz, sem sentir-se culpado por isso e sem invadir os direitos, interesses e necessidades das outras pessoas.

Muitos confundem autoestima com egocentrismo ou egoísmo. O egoísta é centrado em si mesmo e em suas próprias necessidades, enquanto que a pessoa de elevada autoestima ama e respeita a si própria, por isso sabe que os outros merecem o mesmo respeito e têm o mesmo direito de serem felizes e realizados.

Autoestima e autoconfiança são irmãs gêmeas e andam sempre juntas. Não é algo com as quais as pessoas já nascem. Elas resultam de uma combinação de três fatores principais:


1. Habilidades aprendidas: autoestima (assim com a autoconfiança) é uma combinação de habilidades e competências adquiridas ao longo da vida. Ela pode ser aprendida.



2. Prática: pode parecer estranho, mas mesmo que dê a impressão de ser algo espontâneo, a autoestima principia e se desenvolve através da prática contínua. Trata-se de atitudes e comportamentos que vão se cristalizando ano a ano até se transformarem, mais tarde, em hábitos espontâneos e inconscientes de quem a pratica.



3. Foco interno: é o principal dos três fatores. Autoestima e autoconfiança resultam do que os psicólogos chamam de foco interno de controle, ou seja, o ponto central do indivíduo. Significa que pessoas que se autodirecionam e se responsabilizam por suas escolhas e decisões, têm maior autoconfiança e maior autoestima por estarem centradas e alicerçadas em sólidos valores e princípios pessoais de vida. Esse foco interno faz com que você procure conviver com pessoas idênticas ao seu modo de ser e pensar.


Não por acaso Brian Tracy, um dos mais respeitados consultores americanos de motivação e vendas, faz uma pergunta: "Quer saber como você realmente é por dentro?" A resposta dele é categórica: "Você é exatamente igual aos seus cinco amigos mais próximos. Se eles forem positivos, atuantes, felizes e de elevada autoestima, então você também é positivo, atuante, feliz e de elevada autoestima. Mas, se eles forem negativistas, implicantes, medrosos (ou agressivos), acomodados e que reclamam de tudo, então você também é negativista, implicante, medroso (ou agressivo) e acomodado e que reclama de tudo".

Isto descreve melhor do que tudo o estado de espírito de cada um. As pessoas procuram cercar-se de indivíduos iguaizinhos a elas. Serve de alerta para todos nós.

A propósito, não custa perguntar: "Com que tipo de amigos você convive?"



FONTE: http://www.rh.com.br/Portal/Motivacao/Artigo/9044/quer-saber-seu-nivel-de-autoestima-.html