FRASES DO DIA

sábado, 9 de agosto de 2014

TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO






CARACTERÍSTICAS


1.Ecletismo 


2.Ênfase na prática da administração 

3.Foco nos objetivos e resultados 

4.Reafirmação dos postulados clássicos (estrutura de organização do tipo linear, funcional e linha-staff, relações de linha e assessoria, o problema da autoridade e responsabilidade, a departamentalização, etc). 

5.Ênfase nos princípios gerais de administração (como planejar, organizar, dirigir, controlar)


Problemas administrativos comuns a todas as organizações segundo Alvin Brown:

Administrar é técnica social básica: administrador alcança resultados por meio das pessoas.

PRÁTICA:


•Busca resultados concretos e palpáveis 

•Conceitos utilizáveis 

•Visa à ação administrativa 

•A teoria só tem valor na prática 

•Aspectos instrumentais da administração 

•Reflexo do espírito pragmático americano


REAFIRMAÇÃO DOS POSTULADOS CLÁSSICOS:


•Reação à enorme influência das ciências do comportamento no campo da administração em detrimento dos aspectos econômicos e concretos das organizações.

•Intenção: colocar as coisas nos devidos lugares.

•Retomar teoria clássica: redimensão reestrutura, conforme época atual = mais ampla e flexível. 

•Estruturas linear, funcional e linha-staff.
•Relação de linha e assessoria 

•O problema da autoridade e responsabilidade 
•A departamentalização. 

•Um melhor realinhamento dos conceitos clássicos.


PRINCIPAIS AUTORES E DEFENSORES: Não formam uma escola bem definida, mas um movimento heterogêneo.Peter Drucker, Ernest Dale, Harold Koontz, Cyril O`Donnell, Michael Jucius, Willian Newman, Ralph Davis, George Terry, Morris Hurley, Louis Allen


1.Ênfase nos objetivos e resultados (APO)


Científica: ênfase nos métodos e na racionalização do trabalho, Clássica: ênfase nos princípios gerais da administração. 


Neoclássica: ênfase nos fins e resultados, eficácia. Objetivos e resultados (considera os meios na busca da eficiência, mas dá ênfase muito forte nos fins e resultados, na busca da eficácia). 

•Toda organização existe, não para si mesma, mas para alcançarem objetivos e produzir resultados. É em função dos objetivos e resultados que a organização deve ser dimensionada, estruturada e orientada. 

Objetivos: valores visados ou resultados esperados, desejados pela organização através de operação eficiente. Os objetivos justificam a existência e operação da organização.


2.Ecletismo. Os autores consideram as:


♦Teorias das relações humanas (organização informal, dinâmica de grupos de comunicação, liderança, democracia); 

♦Teoria da Burocracia (princípios e normas formais da organização, hierarquia, autoridade e responsabilidade); 

♦Teoria Estruturalista (organização, relacionamento entre organizações e ambiente externo, comparação de estruturas,); 

♦Teoria Comportamental (motivação humana, estilos de administração, teoria das decisões, comportamento humano nas organizações, conflitos organizacionais, objetivos organizacionais X objetivos individuais, equilíbrio organizacional, sistema de recompensas e contribuições, etc); 

♦Teoria Matemática (pesquisa operacional, métodos de quantificação, abordagem de mensuração de resultados, estudo das decisões quantitativas e programáveis, etc); 

♦Teoria dos Sistemas (subsistemas múltiplos, interação e reciprocidade, demandas do ambiente externo, retroação das conseqüências, ciclo de eventos na administração).



Os ONZE PRINCÍPIOS mais utilizados: (como na Física: relação de causa-efeito). Uso do bom senso, genéricos, adequado à situação. Preocupação com estabelecimento de normas de comportamento administrativo. Objetivo: busca de soluções administrativas práticas, sobre como planejar, organizar, dirigir, controlar... As empresas são diferentes, mas os princípios administrativos são comuns, assim como os aspectos básicos da administração.


Quanto a Objetivos:


01. Os objetivos da empresa e de seus departamentos devem ser claramente definidos e estabelecidos por escrito. A organização deve ser simples e flexível.


Quanto a Atividades:


02. As responsabilidades designadas para uma posição devem ser confinadas tanto quanto possível ao desempenho de uma simples função.


03. As funções devem ser designadas para os departamentos na base da homogeneidade no sentido de alcançar a operação mais eficiente e econômica


Quanto a Autoridade:


04. Deve haver linhas claras de autoridade descendo do topo até a base da organização e responsabilidade da base ao topo. 


05. A responsabilidade e a autoridade de cada posição devem ser claramente definidas por escrito. 

06. A responsabilidade deve ser sempre acompanhada de correspondente autoridade.
07. Autoridade para tomar ou iniciar ação deve ser delegada o mais próximo possível da cena de ação. 

08. O número de níveis de autoridade deve ser o mínimo possível.


Quanto a Relações:


09. Há um limite quanto ao número de posições que pode ser eficientemente supervisionado por um único indivíduo. 


10. Cada indivíduo na organização deve reportar-se a apenas um único supervisor. 

11. A responsabilidade da autoridade mais elevada para com os atos de seus subordinados é absoluta.


ADMINISTRAÇÃO COMO TÉCNICA SOCIAL


Para os neoclássicos, a Administração consiste em orientar, dirigir e controlar os esforços de um grupo de indivíduos para um objetivo comum. O bom administrador é aquele que possibilita ao grupo alcançar seus objetivos com o mínimo dispêndio de recursos e de esforço e com menos atritos com outras atividades úteis. É a coordenação de atividades grupais.



EFICIÊNCIA E EFICÁCIA


Eficiência: medida de utilização dos recursos. “the best way” (a melhor maneira) 

Eficácia: Medida de alcance de resultados.


DIFERENÇAS ENTRE EFICIÊNCIA E EFICÁCIA


            EFICIÊNCIA           EFICÁCIA
Ênfase nos meios                            Ênfase nos resultados
Fazer corretamente                         Fazer as coisas certas
Resolver problemas                        Atingir objetivos
Salvaguardar os recursos               Otimizar a utilização dos  recursos
Cumprir tarefas e obrigações         Obter resultados
Treinar os subordinados                Proporcionar eficácia aos  subordinados    
Manter as máquinas                     Maquinas em bom funcionamento
Presença nos templos                    Prática dos valores religiosos
Rezar     Ganhar o céu
Jogar futebol com arte                  Ganhar a partida


ASPECTOS ADMINISTRATIVOS COMUNS ÀS ORGANIZAÇÕES (Peter Drucker)


Quanto aos objetivos: as organizações não vivem para si próprias, mas são meios, são órgãos sociais que visam à realização de uma tarefa social. Visam o indivíduo e a sociedade;Deve-se definir claramente seus objetivos; 

Objetivos são julgamentos de valor, escalas de prioridades no atendimento de necessidades da comunidade por parte da organização.

Quanto à administração: todas as grandes organizações são diferentes em seus objetivos, em seus propósitos, mas são essencialmente semelhantes na área administrativa. 

Reunião de muitas pessoas para empreendimento, todas com mesmo problema: equilibrar os objetivos da instituição e com a necessidade de flexibilidade e de liberdade individual. 

Maior trabalho dos últimos 50 anos: organizar e dirigir grandes organizações. 

Conceito atual: ênfase na eficiência da administração e ênfase na eficácia (resultados). 

Todas exigem estrutura para determinada tarefa e por princípios de administração genérica e adequados.



Quanto ao desempenho individual: é o campo onde há menor diferença entre as organizações. 


Desempenho individual é a eficácia do pessoal. As organizações só atuam à medida que os seus administradores agem...


CENTRALIZAÇÃO VERSUS DESCENTRALIZAÇÃO


A centralização e descentralização referem-se ao nível hierárquico no qual as decisões devem ser tomadas. 

Centralização significa que a autoridade para tomar decisões está alocada próximo ao topo da organização. Com a descentralização, a autoridade de tomar decisões é deslocada para os níveis mais baixos da organização.


CARACTERÍSTICAS DA CENTRALIZAÇÃO

Vantagens da Centralização


As decisões são tomadas por administradores que possuem uma visão global da empresa; 


Os tomadores de decisão no topo são geralmente melhor treinados e preparados do que os que estão nos níveis mais baixos; 

As decisões são mais consistentes com os objetivos empresariais globais; 

A centralização elimina esforços duplicados de vários tomadores de decisão e reduz custos operacionais; 

Certas funções – como compras e tesouraria – permitem maior especialização e vantagens com a centralização.


Desvantagens da Centralização


As decisões são tomadas por administradores da cúpula que estão distanciados dos fatos e das circunstâncias; 

Os tomadores de decisão no topo raramente têm contato com as pessoas e situações envolvidas; 

As linhas de comunicação da cadeia escalar provocam demoras e maior custo operacional; 

As decisões têm de passar pela cadeia escalar, envolvendo pessoas intermediárias e possibilitando distorções e erros pessoais no processo de comunicação das decisões.


CARACTERÍSTICAS DA DESCENTRALIZAÇÃO


•As decisões são pulverizadas nos níveis mais baixos da 

organização. A tendência que vem ocorrendo nas últimas décadas é no sentido de descentralizar para proporcionar melhor utilização dos recursos humanos. 

•Descentralizar para proporcionar melhor utilização dos recursos humanos.Princípios: a autoridade para tomar ou iniciar a ação deve ser delegada tão próxima da cena quanto possível.


Elementos que concorrem para aumentar a descentralização:


♦Complexidade dos problemas organizacionais; 


♦Delegação de autoridade; 

♦Mudança e incerteza; 

♦Tempos de estabilidade.


Vantagens da Descentralização


•Os chefes ficam mais próximos do ponto onde se devem tomar as decisões. A descentralização corta os atrasos nas decisões causadas pelas consultas à matriz ou aos supervisores distantes. As pessoas que vivem os problemas são as mais indicadas para resolvê-los no local, economizando tempo e dinheiro.



•Permite aumentar a eficiência e motivação, aproveitando melhor o tempo e aptidão dos funcionários, evitando que fujam à responsabilidade, por ser mais fácil recorrer à matriz ou ao chefe.



•Permite melhorar a qualidade das decisões à medida que seu volume e complexidade se reduzem, aliviando os chefes principais do excesso de trabalho decisório. Os altos funcionários podem concentrar-se nas decisões de maior importância, deixando as menores decisões para os 

níveis mais baixos.



•A quantidade de papelório dó pessoal dos escritórios centrais e os gastos respectivos podem ser consideravelmente reduzidos. Além disso, se ganha tempo: toma-se na hora uma decisão que levaria vários dias para ser comunicada;



•Os gastos de coordenação podem ser reduzidos devido à maior autonomia para tomar decisões. Isto requer o estabelecimento de uma estrutura organizacional em definida, além de políticas da companhia definindo até que ponto as unidades subsidiárias podem tomar suas decisões.



•Permite a formação de executivos locais ou regionais mais 

motivados e mais conscientes dos seus resultados operacionais do que o executivo nacional, pois a estrutura descentralizada produz gerentes gerais em vez de simples especialistas em produção, em vendas, em finanças ou em recursos humanos.


Desvantagens da Descentralização


•Falta de uniformidade nas decisões: A padronização e a 

uniformidade trazem a vantagem da redução de custos operacionais. A descentralização provoca perda de uniformidades nas decisões. 

Porém, reuniões de “coordenação” entre os escritórios centrais e o pessoal regional que desempenha a mesma função podem reduzir tal problema;



•Insuficiente aproveitamento dos especialistas. Geralmente, os maiores especialistas estão concentrados nos escritórios centrais. 


Com a descentralização, a tendência é pensar que já não se necessita da assessoria da matriz. Pode-se utilizar adequadamente o staff da matriz desde que a direção defina com cuidados as relações entre a matriz e o campo de atividades, a fim de encontrar o melhor equilíbrio entre as vantagens de aguardar que chegue o assessoramento superior e a ação no mesmo lugar.



•Falta de equipe apropriada ou de funcionários no campo de atividades. Ao proceder-se à descentralização, deve-se prover o treinamento. Talvez o melhor sistema consista na designação paulatina de funções, comprovando com regularidade a atuação para certificar-se de que as funções existentes foram satisfatoriamente assimiladas antes de acrescentar outras novas.


BIBLIOGRAFIA:

- Introdução à TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO(IDALBERTO
CHIAVENATTO;
- Teoria Geral da Administração gerenciando organizações.(CYRO
BERNARDES e REYNALDO C. MARCONDES