FRASES DO DIA

sexta-feira, 17 de abril de 2015

COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS AO SERVIÇO PÚBLICO





Os Governos devem responder de maneira eficaz à evolução das funções tradicionais do Estado e aos desafios colocados por essa nova era do conhecimento e pelas transformações políticas, econômicas, sociais, culturais, etc. Devem responder às demandas de cidadania que só aumentam. Devem melhorar seu funcionamento continuamente para que haja melhor governança e, principalmente, conduzir-se a cumprir METAS ECONÔMICAS, sem paralisar ou negligenciar o desenvolvimento social. São três grandes desafios destacados que devem ser enfrentados de maneira efetiva com performance profissional de alto nível, com desenho rigoroso de quais competências técnicas e gerenciais o serviço público necessita e, com base no mapeamento de competências, colocar as pessoas certas nos lugares certos.

No Amapá temos aproximadamente 26.000 servidores estaduais e servidores federais à disposição do Estado e este é o maior capital do Governo, seu capital intelectual. O que a administração pública deve dar de resposta possível a tantos desafios envolve necessariamente, sistemas cada vez mais inovadores de gestão que tragam novos processos de organização de trabalho, soluções tecnológicas que aceleram e integram informações importantes para tomada de decisão. E o mais estratégico de todos: o fortalecimento e desenvolvimento permanente do capital humano, do capital intelectual que está a seu serviço.

Como vivemos uma era onde lidamos com mudanças de contexto cada vez mais acelerados e imprevisíveis, podemos afirmar que a administração pública é uma administração em transição.

Nos oito anos passados, tomou-se a decisão inovadora de definir - através da Escola de Administração Pública do Amapá - quais conhecimentos e habilidades o Governo necessitava e qual perfil o Servidor Público deveria buscar, a saber: 

Capacidade Criativa: atuando de forma estratégica a partir de uma visão sistêmica e inovadora para transformar ideias em projetos consistentes, realizar melhorias e alcançar soluções de problemas;

Capacidade de Aprendizado: absorvendo conhecimentos que proporcionassem mudanças de comportamento pessoal, técnico e social transmitindo informações necessárias ao bom desenvolvimento dos trabalhos;

Orientado para o trabalho em equipe: trabalhando cooperativamente, compartilhando recursos, experiências e ideias, visando atingir as metas da equipe de trabalho; Comprometido com os resultados: estabelecendo metas, reavaliando sistematicamente os processos de trabalho juntamente com sua equipe, buscando atingir o resultado definido;

Comprometido com o Autodesenvolvimento: assumindo a iniciativa e a responsabilidade pelo desenvolvimento do seu patrimônio pessoal e profissional;

Capacidade Analítica: detectando e analisando problemas no seu ambiente de trabalho e propondo soluções e alternativas para superá-los;

Visão estratégica: analisando continuamente os ambientes internos e externos do Estado, a partir de uma visão global, priorizando a aplicação de soluções de curto, médio e longo prazo para atingir resultados definidos.

Essas competências são a base do desenvolvimento dos “cérebros da obra” que conduzem as políticas públicas do Amapá.

Como a gestão pública é dinâmica e vive em permanente transformação, se faz necessário que se repense e defina: são estas mesmas competências, são estes mesmos conhecimentos e habilidades que os servidores precisam para exercer suas atividades?

Para lidar com a evolução de suas funções tradicionais, o Estado precisa criar um canal de discussão sobre o Desenvolvimento do Servidor Público e, considerando as mudanças freqüentes de cenário (especialmente o partidário), vem promover o alinhamento de conceitos sobre esse tema de tempos em tempos.




Goreth Sousa
Master Coach