FRASES DO DIA

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A OBSOLESCÊNCIA DO CONHECIMENTO





Na década de 1970, o trabalhador médio americano levava entre 12 a 15 anos para que 50% do seu conhecimento se tornasse obsoleto, segundo estimativas do Ministério do Trabalho dos EUA*. Na virada do século este prazo caiu para três anos, isto é, a cada 36 meses você perde metade da sua capacidade de desempenhar adequadamente a sua profissão. Em outras palavras: você fica obsoleto – e cada vez mais rápido.

Se você acha que esta constatação é exagerada – mesmo ela estando 15 anos defasada – deixe-me acrescentar alguns argumentos próprios:

Entendo – e esta é uma visão pessoal – que a competência de um profissional pode ser dividida em quatro pilares: técnica, conceitual, organizacional e interpessoal.

A Competência Técnica, como o nome sugere, diz respeito aos conhecimentos necessários para executar o trabalho propriamente dito. É a carteira de habilitação do motorista profissional ou o CRO do dentista. Tanto um quanto o outro serão profissionais medíocres para sempre, se não se atualizarem adequadamente. Imagine, por exemplo, um motorista que não consiga usar um câmbio automático, ou um dentista que não entenda de resinas polimerizáveis.

Há, porém, situações mais graves nas quais a defasagem técnica tira completamente o profissional do mercado, dependendo do grau de dependência de sua profissão em relação ao ferramental específico.

Em recente conversa com um especialista em Marketing Digital, disse-me ele que o mercado de SEO deu soluços, piruetas e cambalhotas nos últimos meses e que, por causa de mudanças repentinas e imprevisíveis nos principais players, toda a sua bagagem anterior não valia mais nada.

O mercado deu um passo adiante e deixou muita gente para trás. Os 36 meses necessários à obsolescência foram espremidos em algumas semanas.

O que você faria se tudo aquilo que você sabe sobre a sua área deixasse de ser verdade? Se todos os carros fossem autoguiados ou um creme dental acabasse com cáries e outros problemas dentais e de gengivas? Se o principal produto da sua empresa fosse substituído ou tirado do mercado? Se criassem um software que faz seu trabalho mais rápido – ou melhor – do que você? O que você faria?